Comunicação

Comunicação

Clipping

Atividade física contribui para desenvolvimento do cidadão10/05/2022

O Dia Mundial da Atividade Física é uma data marcante para alertar a população sobre a importância da prática de atividades físicas, bem como sobre os riscos da inatividade, avalia o diretor executivo do Conselho Federal de Educação Física (CONFEF), Willian Pimentel [CREF 012580-G/MG].

Pimentel destacou, em entrevista à Agência Brasil, que a atividade física contribui para o desenvolvimento do cidadão, seja no seu caráter físico, como psicológico, “já que a atividade física é um componente essencial para a redução de vários tipos de doença”. Além do sedentarismo já ser considerado atualmente um problema de saúde pública, a prática de exercícios regulares ajuda no combate à hipertensão arterial, a vários tipos de câncer, à obesidade infantil.

“O próprio diabetes tipo 2 é influenciado pela prática de atividade física e ainda há questões de saúde mental, como auxílio no combate à depressão. A atividade física é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como um dos fatores que interferem no tempo de vida do cidadão”, afirmou o diretor executivo do CONFEF. (...)

Campanha - Neste mês, o CONFEF lançou, pela primeira vez, a Campanha Abril Verde: Mês de Combate ao Sedentarismo, aproveitando a comemoração do Dia Mundial da Atividade Física, além de estudos, principalmente do Projeto ConVid, da Fundação Oswaldo Crus (Fiocruz), que apontaram que 62% dos brasileiros deixaram de fazer qualquer tipo de exercício desde o início da pandemia da covid-19.

Para combater a inatividade e o sedentarismo, o CONFEF decidiu voltar a falar da importância da atividade física, orientando as pessoas a procurar um profissional regularizado para que a prática se torne contínua na vida do cidadão. “Muitas vezes, a pessoa não consegue dar sequência à sua atividade física por não ser orientada adequadamente, por não saber que pode praticar diversos tipos de exercício, seja em ambiente fechado ou aberto, e que a expectativa dela para o exercício e o que ela mais considera adequado têm que ser levados em consideração pelo programa de treinos que ela vai realizar, para que ela torne aquilo um prazer na sua vida.” (...)


Fonte: Agência Brasil