Comunicação

Comunicação

Clipping

Casos de diabetes e obesidade são mais altos em bairros com menos oferta de academias, diz estudo15/12/2021

(...) — Pela lógica, onde é mais provável que você faça exercícios? — questiona o epidemiologista Manuel Franco. 

— Não se tratava apenas de concluir que as instalações esportivas importam, no sentido de que você vai fazer mais atividade física e ter menos obesidade, menos diabetes ou menos hipertensão e, portanto, melhor saúde e menos doenças cardiovasculares. Isso tinha que ser estudado e demonstrado — explica o especialista em saúde pública, um dos pesquisadores da Universidade de Alcalá, que cruzou dados sobre recursos esportivos e a prevalência de diabetes e obesidade na população de 40 a 75 anos na cidade de Madri.

O resultado “conclusivo” é que as regiões com menos academias e centros esportivos têm 22% mais casos de obesidade e 38% mais casos de diabetes tipo 2 (o mais comum) do que os bairros que tinham maior oferta dessas instalações.

Por outro lado, bairros com menor nível socioeconômico apresentam maior prevalência de obesidade (13%) e diabetes (17%) do que aqueles que, também tendo baixa disponibilidade de instalações, apresentam maior nível socioeconômico. Nas mulheres, a prevalência de diabetes é mais que o dobro (24%) do que a de homens que vivem em áreas com as mesmas características (10%). (...)



Fonte: O Globo