Comunicação

Comunicação

Clipping

Protocolo de exercícios reduz um dos sintomas mais incapacitantes da doença de Parkinson 03/11/2020

Um estudo brasileiro com idosos que fazem treinos físicos auxiliados pela tecnologia de colete de eletroestimulação muscular de corpo inteiro (EMS) concluiu que eles melhoraram o condicionamento cardiorrespiratório e ganham mais força e massa muscular. 

Feito em parceria pelo Instituto de Ortopedia e Traumatologia da Universidade de São Paulo (USP), o Departamento de Educação Física da Universidade Nove de Julho (Uninove) e o laboratório de pesquisa da TecFit, o estudo está para ser publicado em uma revista científica. Mas seu coordenador, o pesquisador Alexandre Evangelista [CREF 010726-G/SP], profissional de educação física e doutor em Ciências da Saúde, já adianta que os resultados são animadores. Nele, um grupo de dez voluntários na faixa dos 70 anos foi submetido ao estímulo EMS duas vezes por semana, durante um mês e meio, e teve melhora de 31% na capacidade cardiorrespiratória, de 35% na força de pernas e de 20% na de braços. Pernas e braços também aumentaram de espessura: 29% e 21%, respectivamente. Já outro grupo de 11 idosos nas mesmas condições e que treinaram sem o estímulo EMS teve uma evolução muito discreta, como explicaremos a seguir. (...)



Fonte: Eu Atleta