Comunicação

Comunicação

Clipping

Celulite tem jeito? O desafio de tratar, eliminar e disfarçar os furinhos do bumbum e das pernas26/09/2019

Não importa se a mulher está acima do peso ou se é magra, as celulites são sempre uma preocupação. O problema, que causa ondulações e furinhos na pele de bumbum, coxas e quadris, é responsável pela baixa na autoestima de muita gente, mas é extremamente comum. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), as celulites afetam cerca de 95% das mulheres após a puberdade, quando começa a ocorrer a influência do estrogênio, o hormônio sexual feminino produzido pelos ovários, no corpo. O fator genético é decisivo. Porém, maus hábitos alimentares, como dieta rica em gordura, açúcar e sódio, e estilo de vida, incluindo sedentarismo e o hábito de fumar, contribuem para aumentar a quantidade e piorar o aspecto. Por isso, a prevenção e o tratamento das celulites envolvem necessariamente:

Alimentação saudável e balanceada;
Realização de exercícios físicos aeróbicos e anaeróbicos, que aumentam a vascularização local e a resistência muscular, respectivamente, contribuindo para diminuir depósito de gordura;
Manutenção do peso ideal;
Sono regular e de qualidade;
Redução de estresse, que também está associado a ganho de peso;
Abandono do vício do cigarro;
Redução do consumo de álcool e café.
Não é mágica, as celulites não vão sumir. Nem se deve esperar ficar com as pernas de modelos de revistas, algumas privilegiadas pela genética, muitas corrigidas pelo photoshop nas imagens. Mas as celulites podem sim ser minimizadas e ganhar um aspecto melhor. Há também tratamentos estéticos que podem ser prescritos pela dermatologista e ajudam a melhorar o quadro. No entanto, além de terem custo elevado, esses procedimentos não surtirão efeito se a alimentação e o estilo de vida não sofrerem alterações. A médica dermatologista Ligia Kogos comenta que, em geral, essa jornada para combate às celulites começa com as mudanças nos hábitos e manutenção do peso ideal.

– Caso as mudanças de hábitos não sejam suficientes, inicia-se um tratamento de acordo com o grau da celulite e a disponibilidade e necessidade da paciente, levando-se em conta seu estilo de vida, idade, classe econômica, urgência de melhora e grau de exigência dela mesma, por exemplo. Não há motivo para desanimar ou se desesperar frente a um quadro de qualquer grau de celulite. As alternativas são muitas e as principais não dependem de gasto financeiro, só de força de vontade – encoraja Ligia.

(...)O membro do Conselho Federal de Educação Física (CONFEF) Eduardo Netto [CREF 002025-G/RJ] enfatiza que evidências científicas permitem afirmar que o tratamento e a prevenção da celulite passam pela melhora do condicionamento físico associada a uma dieta que diminua a gordura corporal. Segundo ele, um processo que promova o emagrecimento, portanto, será decisivo para a obtenção de resultados satisfatórios. (...)

Netto recomenda buscar a orientação de um educador físico [o termo correto é Profissional de Educação Física] para incorporar atividades físicas que auxiliem no tratamento e prevenção das celulites. Esse profissional será capaz de prescrever um treino individualizado levando em consideração seus objetivos e suas características individuais. (...)



Fonte: EU Atleta