Comunicação

Comunicação

Clipping

Professor de Paulínia é um dos vencedores do prêmio Educador Nota 10 com projeto de aceitação do cor23/08/2019

O professor de educação física Luiz Gustavo Bonatto Rufino [CREF 086907-G/SP] é um dos dez vencedores do prêmio Educador Nota 10, com um projeto que propôs a ressignificação do corpo aos alunos do 3º ano do Ensino Fundamental I da Escola Municipal Odete Emídio de Souza, em Paulínia (SP). A lista foi divulgada nesta quarta-feira (17).

O docente realizou as atividades durante o 2º semestre de 2018, após uma conversa com seus alunos de 8 e 9 anos de idade revelar que todos tinham algum bloqueio de aceitação de seus tipos físicos ou cor de pele. Motivado pelo sentimento expressado por estes jovens, Rufino buscou incentivar a diversidade através de atividades físicas.

“A grande questão é pensar o corpo de formas diferentes. A educação física é uma disciplina privilegiada dentro da escola porque ela dá espaço para o corpo se expressar e se movimentar”, explica o educador.
O projeto foi dividido em três etapas: “Eu, meu corpo e minha história”, “O outro e seu corpo” e “O corpo, suas potencialidades e limitações”. Ao longo de 13 aulas, os alunos tiveram vivências em diversas áreas do esporte, como o atletismo e a corrida, além de enfrentar novos desafios em cima de pernas de pau.

Para o professor, que também é mestre e doutor em Educação Física Escolar, a recepção das atividades foi muito boa, já que as crianças costumam gostar da disciplina. “A partir do momento em que eles tiveram que desenhar seus corpos, pensar em como eles agem uns com os outros, tudo isso proporcionou uma reflexão para eles, porque eles perceberam que existem outros conteúdos dentro da educação física”, comenta.

Futuro do projeto
O projeto começou como uma "pequena atividade", como o próprio professor relata, sobre conhecer melhor o próprio corpo, e acabou se tornando um grande projeto de aceitação para os alunos. Através destas atividades, o educador também levou a reflexão para a sala de aula através de desenhos e interpretação de um poema de Eduardo Galeano, intitulado “O corpo é uma festa”.

“Tenho algumas ideias e a primeira delas é ampliar esse projeto em outras escolas, porque acho que esse projeto tem um grande potencial para continuar”, afirma o professor.
O educador relata que o prêmio vem com uma missão muito importante. “Somos 2,5 milhões professores no Brasil, e há diversos professores de educação física. Ser o único selecionado [desta disciplina] é uma grande emoção e, ao mesmo tempo, uma responsabilidade, porque estou representando muita gente bacana, muita gente que desenvolve boas práticas”.

Para Rufino, o papel do educador é fundamental. Entretanto, não seria possível desenvolver esses projetos sem os alunos.

“Dar aulas é um exercício de sensibilidade. A gente, enquanto educador, tem que ter essa sensibilidade para entender o que os alunos estão falando porque eles são uma inspiração”, finaliza o professor.

Prêmio nacional
O Prêmio Educador Nota 10 seleciona, todos os anos, dez profissionais que desenvolveram projetos considerados de excelência e que representam a educação básica desejada no país. Cada um dos vencedores desta 22ª edição recebeu um vale-presente no valor de R$ 15 mil. A cerimônia que define o Educador do Ano acontece na Sala São Paulo, dia 30 de setembro.


Fonte: G1